**SALA ESPÍRITOS DE LUZ E CARIDADE**






"Os homens semeiam na terra o que colherão na vida espiritual: os frutos da sua coragem ou da sua fraqueza."
(Allan Kardec)


NO GRANDE CAMINHO

Somos viajores que chegam de longe... Reagrupados no templo da família ou no campo social, achamo-nos, à frente uns dos outros, com sagrados imperativos no reajuste. Disfarça-nos o manto da carne, mas as circunstâncias reaproximam-nos. E, irresistivelmente, somos convocados a recapitular velhas experiências que nos pareciam definitivamente encerradas. Laços de afeição e ódio encadeiam-nos, de novo, nos interesses mútuos e, quase sempre, incêndios devastadores nos agitam a alma, atingindo-nos os recônditos do ser, compelindo-nos à revisão de nossos próprios valores. Que seria de nós, sem o bálsamo da tolerância e sem o alimento da fraternidade? Só o esquecimento do mal consegue pacificar o terreno revolto de nosso espírito, possibilitando novas plantações. Só a compreensão é capaz de realizar o milagre de nossa resistência na subida escabrosa. Assim, pois, não nos esqueçamos do perdão que apaga todas as culpas, incentivando o bem que nos renova o ser, convertendo-nos, enfim, em verdadeiros instrumentos da Divina Vontade do Mestre e Senhor.

(Pelo Espírito Meimei - Do livro: Cartas do Coração – Médium: Francisco Cândido Xavier – Espíritos Diversos)










Benfeitores Espirituais:




"Quanto mais auxiliares aos outros, mais amplo auxílio recebereis da Vida Mais Alta."
(Bezerra de Menezes)






"A caridade é o processo de somar alegrias, diminuir males, multiplicar esperanças e dividir a felicidade para que a Terra se realize na condição do esperado Reino de Deus."
(Emmanuel)






"Esqueça o mal que receba e nunca faça a cobrança do bem que tenha podido distribuir."
(André Luiz)






"Hoje auxiliamos, amanhã seremos os necessitados de auxílio."
(Francisco Cândido Xavier)






"A caridade é a beleza da alma."
(Frei Luiz)






"Não olvides que caridade é o coração no teu gesto."
(Meimei)






"Caridade, princípio único."
(Scheila)






"Sempre que o mal te visitar, pede a Deus te conceda a coragem de perdoar."
(Maria Dolores)





"A paz legítima emerge do coração feliz e da mente que compreende, age e confia."
(Joanna de Ângelis)






"Por vezes uma palavra certa no momento certo é mais valioso do que qualquer bem material que dinheiro possa comprar!"
(Ramatis)







Amai, porque só o amor constrói para a vida eterna.Não vos atenhais às coisas da Terra, porque não as levareis.Usai os atributos que vos são autorgados, mas renunciai e penitenciai-vos, pois a vossa renúncia e a vossa penitência trazem à luz que mais rapidamente vos conduzirá aos pés do Divino Mestre Jesus! ...Tupyara que muito vos ama!









Num cantinho de um terreiro, sentado num banquinho, pitando o seu cachimbo, um triste preto-velho chorava. De seus olhos molhados, esquisitas lágrimas desciam-lhe pelas faces e não sei porque contei-as... Foram sete. Na incontida vontade de saber aproximei-me e o interroguei. Fala, meu preto-velho, diz ao teu filho por que externas assim uma tão visível dor? E ele, suavemente respondeu: Estás vendo esta multidão que entra e sai? As lágrimas contadas estão distribuídas a cada uma delas. A primeira, eu dei a estes indiferentes que aqui vem em busca de distração, para saírem ironizando aquilo que suas mentes ofuscadas não podem conceber... A segunda a esses eternos duvidosos que acreditam, desacreditando, na expectativa de um milagre que seus próprios merecimentos negam. A terceira, distribui aos maus, aqueles que somente procuram a UMBANDA, em busca de vingança, desejando sempre prejudicar a um seu semelhante. A quarta, aos frios e calculistas que sabem que existe uma força espiritual e procuram beneficiar-se dela de qualquer forma e não conhecem a palavra gratidão. A quinta, chega suave, tem o riso, o elogio da flor dos lábios mas se olharem bem o seu semblante, verão escrito: Creio na UMBANDA, nos teus caboclos e no teu Zambi, mas somente se vencerem o meu caso, ou me curarem disso ou daquilo. A sexta, eu dei aos fúteis que vão de Centro em Centro, não acreditando em nada, buscam aconchegos e conchavos e seus olhos revelam um interesse diferente. A sétima, filho notas como foi grande e como deslizou pesada? Foi a última lágrima, aquela que vive nos olhos de todos os Orixás. Fiz doação dessa aos Médiuns vaidosos, que só aparecem no Centro em dia de festa e faltam as doutrinas. Esquecem que existem tantos irmãos precisando de amparo material e espiritual. Assim, filho meu, foi para esses todos, que viste cair, uma a uma AS SETE LÁGRIMAS DE UM PRETO-VELHO.

Sou agradecida a estes espíritos de luz, pois comecei na Umbanda e aprendi muito com estes Pretos Velhos, a eles todo o meu carinho a agradecimento por tantas graças alcançadas, eles que tanto sofreram em outra encarnações como escravos.Obrigada meus Velhos!




 

**VOLTAR AO BLOG**

(Pagina Integrante do blog Jardim Espiritual)